A+ A- Acessibilidade

Notícias

IV Encontro do Cinemas em Rede discute o avanço do circuito.


Realizado em 27/8, no auditório do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), em Brasília, o IV Encontro do Cinemas em Rede reuniu 11 representantes das instituições participantes do projeto (UFBA, UFRGS, UFPB, UFF, UFOP, UFES, USP, UFG e UFPel), além de dois convidados de universidades que desejam ingressar na rede (UFRN e UFS) e cinco gestores de Tecnologia da Informação (UFF, UFOP, UFES, UFSCar e UFPel). O intuito foi o de integrar as equipes no tocante aos requisitos necessários para garantir o sucesso e a expansão das atividades, além de promover a integração e troca de experiências entre as atuais 12 instituições exibidoras.

Segundo o gestor de TI da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Júlio Mattos, essa comunicação com a parte de TI é salutar, principalmente com os gestores, para ciência do que está ocorrendo e para a tentativa de sincronizar as ações para garantir mais fluidez no desenvolvimento do projeto. “Na verdade, fornecemos a infraestrutura e ela é essencial para o bom funcionamento e execução da sala de cinema e da exibição. Então, saber do projeto nos ajuda a dar suporte adequado”, complementa.

“Na minha visão é muito interessante o projeto, pois também é papel da universidade fornecer cultura. Para a TI especificamente é interessante participar desse tipo de evento para que as expectativas sejam alinhadas e atuemos de fato como um viabilizador das soluções e não como impeditivo. Embora nosso foco seja mais na operação, eu acho que as informações colhidas aqui vão ajudar a tornar o serviço de melhor qualidade na nossa instituição”, opina Erick Melo, gestor de TI da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

“Sempre temos um contato muito grande via e-mail para discutir as sessões e questões práticas, mas não substitui esse espaço que o encontro pessoal proporciona, para aprofundar várias questões, por isso acho fundamental nos reunirmos anualmente para destrinchar uma série de pontos que serão muito importantes para o futuro. Temos possivelmente o cinema mais estruturado do projeto e talvez do país e seria ótimo termos mais salas assim no Cinemas em Rede”, relata Paulo Máttar, Coordenador do Cine Arte UFF, da Universidade Federal Fluminense.

Já para Flávia Cruvinel, pró-reitora adjunta de extensão e cultura da Universidade Federal de Goiás (UFG), é importantíssimo a rede crescer, considerando as perspectivas da chamada de qualificação que será lançada esse ano. “Estamos num momento bom, no qual temos uma trajetória de amadurecimento e agora é o período exato para projetar essa expansão”, comenta.

O Cinemas em Rede conecta cinemas e exibidores das instituições federais de educação, ciência e cultura à Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), criando assim um circuito nacional para a produção audiovisual brasileira. Ainda em 2018 será lançada uma chamada de qualificação para levantamento da situação dos exibidores nas universidades e institutos federais, e subsidiar a expansão da rede pelo Brasil.